Empreendedores não são super-heróis

empreendedores

“Não tente ser heroína!” – ou herói, no caso dos empreendedores. Escutei essa frase de dois gestores distintos e, para minha surpresa, a explicação foi a mesma.

Leia este artigo até o final e entenda como funciona a mentalidade resiliente de um empreendedor.

Eles se referiam às pessoas que tentam “atos heroicos” na gestão de seus recursos como se fossem um Batman ou uma Mulher-Maravilha: ignoram os especialistas, os relatórios e as melhores práticas, numa busca incansável por acertar o “timing” exato de entrar na Bolsa de Valores ou de resgatar os recursos daquele fundo de investimentos.

São os mesmos “heróis” e “heroínas” que colocam todos os seus ativos em um único setor ou tipo de investimento, que acreditam que ficarão ricos do dia para a noite (portanto, não planejam para o longo prazo), que alocam todo o seu patrimônio no produto da vez, naquela ação ou naquele fundo em que todo mundo está comprando, sem pensar em reserva de emergência, proteção de carteira ou diversificação.

Confesso que os dois gestores me fizeram pensar em quantas vezes já tentei ser heroína na minha vida pessoal, acreditando (erroneamente) que daria conta de tudo, sendo a mãe, esposa e profissional perfeitas, sem dividir as responsabilidades com ninguém.

Da mesma forma, entendi realmente a ideia do “heroísmo” aplicada à gestão de patrimônio, principalmente no que diz respeito à diversificação de recursos.

Posso garantir que a minha vida pessoal melhorou muito quando eu aprendi que, sim, o meu marido pode se sentar ao lado do meu filho e ajudá-lo a fazer lição, ou fazer o jantarzinho dele se a mamãe tiver que trabalhar até mais tarde, e que está tudo bem aceitar a ajudar da minha irmã ou daquela vizinha para levá-lo no futebol. Também aceitei que, de vez em quando.

Como é ser um empreendedor

Assim, quando aprendi a dividir com mais equilíbrio meu tempo e minhas responsabilidades, tanto no trabalho quanto em casa, e me permiti aceitar ajuda quando necessário, abri espaço para as oportunidades de ler um livro que gosto, assistir a um filme ou sair para um tomar um drinque. Da mesma forma, entendi que é impossível dar conta de tudo, o que tornou a maternidade e a vida profissional mais leves.

Com os investimentos e nos negócios, funciona da mesma forma. Não ter todos os nossos recursos alocados em somente um tipo de ativo, apostar todas as fichas em um funcionário ou ideia, de forma a balanceá-los entre reserva de emergência, proteção, renda fixa e renda variável – sempre com a ótica de longo prazo –, nos ajudará a ter uma vida de investidor “mais leve”, minimizando perdas e com maior possibilidade de ganhos.

Quando você divide a alocação dos seus recursos em uma gama maior de aplicações, acaba por proteger seu capital contra possíveis perdas e diminui o risco. Quanto maior for sua diversificação de carteira, menos volátil ela será. No caso de investimentos no exterior, você minimiza essa perda quanto ao real, que pode se desvalorizar a qualquer momento.

Como está acontecendo agora com o Real, que mostra uma incrível volatilidade, os investimentos ligados à moeda local estão expostos a mais riscos, e investir em moedas fortes como o dólar, por exemplo, protege você, investidor ou investidora, do impacto das flutuações das taxas de câmbio.

Empreendedores brasileiros

Além disso, alocando um pouquinho dos nossos recursos no exterior, conseguiremos proteger o nosso patrimônio contra eventos de choque (como é o caso do causado pelo novo coronavírus) sem abrir mão de retorno no longo prazo, uma vez que as Bolsas americanas tendem a se recuperar de forma mais rápida que a Bolsa brasileira.

Não podemos esquecer que o PIB do Brasil representa aproximadamente 2,5% do PIB mundial, e o mercado de ações brasileiras, somente 1% do mercado de ações globais. Já parou para pensar em quantas oportunidades de investimentos você pode estar perdendo?

Da mesma maneira, torço para que esta crise sirva para ajustarmos os ponteiros da nossa vida no âmbito pessoal e, principalmente, ajustar nossas carteiras de investimentos de acordo com o nosso real perfil de investidor.

Vale lembrar sempre, mais uma vez, que investimentos e negócios são para o longo prazo e devem ser diversificados.

Não tentem ser heróis nem heroínas. Empreendedorismo não é brincadeira.

Acesse o site Folha Econômica para mais dicas empreendedoras.

Deixe uma resposta